sábado, 25 de fevereiro de 2012

SENHORA DA CORAGEM


O Salvador ainda não havia completado os seus dois anos de idade. 
Mas, temendo que um dia Ele se tornasse Rei dos Judeus, Herodes planejou a sua morte, mandando matar todas as crianças com menos de dois anos em Belém. 
José e Maria tiveram então que fugir par o Egito, levando consigo o Menino. 
E que viagem aquela! 
A pé, atravessando regiões desertas e desconhecidas, esmolando ao longo das estradas, levando consigo uma criança que mal sabia andar, numa caminhada que deve ter durado mais de um mês. 
Só mesmo a Senhora da Confiança poderia ter coragem para tanto.
Após vários anos de exílio, a Santa Família voltou para Nazaré, onde o Salvador viveu até os trinta anos. 
Foi quando Ele  saiu para pregar a sua Palavra de Vida Eterna. 
E como não poupava a hipocrisia dos fariseus e mestres da Lei, acabou sendo preso e condenado à morte na cruz. 
Nossa Senhora, sozinha em sua casa de Nazaré, soube de tudo; mas não se apavorou. 
Foi para Jerusalém, onde estava seu Filho, pois queria acompanhá-Lo à hora da sua agonia e da sua morte. Imprudência? Precipitação? De modo algum. Senhora da Coragem, ela não vacilou, embora prevendo tudo o que a esperava naqueles dias.
Condenado seu Filho à morte, ela ouviu a multidão que, aos gritos, pedia o sangue do Salvador. 
Todo ferido, com a cruz às costas. 
Aquele que todos acusavam como revoltoso e blasfemo... foi levado para o Calvário. 
Sua Mãe, porém, não se deixou vencer pelo medo. 
Em silêncio e sofrendo tudo com seu filho, ela O acompanhou, em meio àquela confusão de ódio e zombaria.
Os apóstolos haviam fugido mas a Senhora da Coragem ali estava, deixando-se conhecer como a Mãe do criminoso condenado à morte. 
Durante três horas ela permaneceu junto à cruz, até que seu Filho expirasse e depois, ainda teve forças para, com outras mulheres, levar o cadáver para o sepulcro. 
Dos seus amigos, dos que se diziam seus discípulos e admiradores, de todos aqueles que havia curado, o Salvador recebeu, naquele dia, apenas o abandono, a covardia, o medo. 
Mas uma pobre mulher sem defesa, em meio à multidão, foi capaz de acompanhá-Lo, de sofrer com Ele, e de aparecer aos olhos dos seus inimigos como a Mãe do Condenado. 
Ela foi a Senhora da Coragem.






4 comentários:

  1. Que ela nos dê coragem para não fugir diante das dificuldades e obstáculos! Bjks Tetê - Manancial

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida Tetê
      Assim seja!!!
      Bjm de paz e receba as bênçãos marianas

      Excluir
  2. Amém...
    Querida amiga,gostei muito de ler esta mensagem...
    Muito grata pelo carinho em ser Destaque aqui tbém,
    Beijos de luz...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida
      A mensagem mariana é de fé, esperança e amor... por isso sempre gostamos...
      Bjm de paz

      Excluir