sábado, 28 de abril de 2012

SENHORA DA ALEGRIA



Consolo e lição para nós; neste mundo, a Mãe de Deus não foi somente a Senhora do Sofrimento, mas também a Senhora da Alegria. 
É certo que Ela nunca provou a falsa alegria que nasce do pecado ou da dissipação, pois nunca se afastou de Deus. 
Nem por isso deixou de gozar das alegrias santas que o Pai dos céus também concede a seus filhos deste mundo.
Se a piedade popular a conhece como a Virgem das Dores, uma antiga invocação também a celebra como Nossa Senhora dos Prazeres, lembrando, não somente as suas alegrias, mas ainda  aquela paz e consolo que Ela põe em nossa vida, pois não é sem motivo que, na Ladainha, nós a invocamos como Causa da Nossa Alegria.
Apesar de todos os sofrimentos que marcam a nossa vida nesse mundo, Deus não nos quer tristes, arrasados ou pessimistas. 
Ele não é o Deus da tristeza, para nos encher de medo e pavor, mas o Deus Pai que nos quer como filhos, no seu amor e na sua paz. 
Por isso, S.Paulo insistia com os cristãos do seu tempo, dizendo: "Alegrai-vos sempre no Senhor!"
Notemos bem que o Apóstolo não recomenda aos fiéis uma alegria qualquer, ele deseja que todos vivam felizes e contentes, mas no Senhor, isso é, dentro do respeito, da caridade, e da inocência. Somente essa alegria é digna de um filho de Deus.
Apesar de todos os sacrifícios que sempre a acompanharam, Nossa Senhora soube viver a sua paz interior, sua alegria santa e perfeita. 
Logo após a Anunciação saudada por Isabel como Mãe do Salvador, Ela responde com palavras repassadas de alegria e gratidão, lembrando que Deus ia iniciar a salvação do mundo. 
No abandono e pobreza daquela estrebaria de Belém, ela se sentia imensamente feliz, diante daquela Criancinha que era seu Filho e Filho de Deus humanado. 
No exílio do Egito, ou na solidão de Nazaré, ela não se julgou infeliz nem humilhada, mas, contente e generosa, cooperava alegremente com seu Filho para  a salvação do mundo. 
E quando teve que ir ao Calvário, ver seu Filho agonizar e morrer numa cruz, Ela tudo suportou, sabendo que todo aquele sofrimento logo iria transformar-se na inefável alegria da Ressurreição. 
Foi assim que Ela viveu, para que dela pudéssemos aprender.


7 comentários:

  1. Belíssimo post! Lindo e abençoado fds!beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Caminho sempre de mãos dadas com a Nossa Senhora! Linda oração!
    Bj. Célia.

    ResponderExcluir
  3. Hoje eu vim aqui no seu blog agradecer as visitas e mensagens que vc deixa no meu blog e tb te convidar para meu sorteio do livro o pequeno principe, ficarei muito contente com sua participação.
    Beijos
    Thiago

    ResponderExcluir
  4. A ressurreição deu sorriso nasceu com o dia
    Ah este inverno que abraça a primavera
    Este céu que arroxa meu peito
    Estas negras pedras plantadas na terra

    O curso do meu errante espirito
    Levou-me ao infinito e ao incomensurável
    Este orvalho das pequenas coisas
    Recorta meu corpo a golpe de cisel

    Ocultei meus sonhos numa porta da eternidade
    Porque o desespero é voo baixo e sinuoso
    Vi ontem dois amantes jurarem uma partilha de vida
    Vi olhos que irradiam luz em gesto assombroso

    Um imenso abraço

    ResponderExcluir
  5. É uma alegria passar pelo seu blog, uma meditação, um conforto.
    Obrigada por estar comigo e por estarmos juntas! Grande beijo

    ResponderExcluir
  6. Minha querida nova amiga, muito obrigada pelo seu comentário e pela sua companhia. O seu espaço é um local de paz e, por isso, já sou sua seguidora.
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Rocio del Cielo, muy hermoso es tu blog.
    ¡Encantada de conocerte!
    Dios te bendiga!!!

    ResponderExcluir