sábado, 15 de agosto de 2015

Assunção



Finda a noite da vida..., em límpida alvorada,
Desponta o dia eterno aos olhos de Maria...
Descem anjos do azul sóis em revoada,
Traçando-lhe, no espaço, a luminosa via!

Quem nasceu para ser a Mãe Imaculada
De Jesus Redentor, partilhar não podia
A desditosa herança a todos nós legada:
O abraço destruidor da sepultura fria!

Deixando pois, de manso, a pátria dos pesares,
Ergue-se a Mãe de Deus para os infindos ares,
Até librar-se como estrela em pleno brilho.

Apaga-se depois, aos poucos seu reflexo
Na imensidão sem fim onde, em divino amplexo,
Ela começa o céu nos braços de seu Filho!
(Héber Salvador de Lima, SJ)

Um comentário:

  1. Eu procurava há e
    Tempos essa poesia do Padre Héber salvador. Muito obrigado

    ResponderExcluir