domingo, 20 de maio de 2018

Muralhas dos Céus



Tu, Senhora, entre as mulheres única,
Contentaste ao Pai celeste.
Ave! Visão primeira do supremo artista!
A graça divina cumulou tua mente humilde
E o Amor de Deus inundou teu coração
Puríssimo
Está contigo o Senhor Onipotente
Que, num olhar, abarca
As muralhas do Céu, os recantos da terra,
A vastidão do amor.
Senhor foi ele, sempre, do teu coração:
Ele, só empunha as rédeas de tua alma.
A ti não dominou a culpa original
Nem te prostrou outro pecado algum:
O Onipotente Senhor te senhoreou inteira.
Nem a morte, nem o autor da morte
Puderam algo contra ti:
O Onipotente Senhor te senhoreou inteira...


(S.José de Anchieta)

Um comentário: