quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Como Vejo Maria



Não te vejo de azul, Virgem Maria,
Hirta no andor, com vestes de cetim,
Cabelos de oiro, olhar de alegoria...
Perdão, Senhora, não te vejo assim

Não te vejo no altar, parada e fria,
Entre eflúvios de incenso e de jasmim
E aos pés anjinhos de oleografia....
Não és, Senhora, nunca foste assim

Não te vejo entre nuvens cor-de-rosa
Vejo-te, sim, humana e dolorosa,
Na terra, entre os mortais, os pecadores,

Pés em chaga na poeira dos caminhos,
Sangrando em cada dedo um anel de espinhos
E em cada passo a dor das sete dores.


(Maria Fernanda Telles de Castro)

Vi esse poema no blog da querida amiga Maria

Um comentário:

  1. Muito lindo e verdadeiro esse poema! Maria é santa, é imaculada, mas, é Maria humana, dolorosa, entende nossas angústias e vela por todos nós.
    Beijos no coração!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.